Como estão meus kambas e minhas kambas dessa Angola maravilhosa, e meus amigos lusófonos espalhados pelos quatro cantos? Espero sinceramente que estejam todos bem e que estejam a estudar, pois como diria o grande Madiba: “A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo”.

Inspirado na frase deste grande líder, vamos então aos estudos. Vou falar hoje um pouco sobre “Custo Padrão do protocolo OSPF”.

Por ser um protocolo de roteamento dinâmico, do tipo “link state” e consequentemente com certa complexidade para o seu total entendimento, vou dedicar mais de um post a ele.

Para aqueles que tiveram pouca, ou quase nenhuma familiaridade com o protocolo, vou sugerir a leitura do meu post dedicado a um resumo do protocolo e seu funcionamento. (ver post)

Aqui vou me restringir a falar apenas sobre o método que o protocolo usa para criar a base topologica de uma rede “OSPF DATABASE” e consequentemente aplicar a tabela de roteamento padrão, as melhores rotas (melhores caminhos) para diferentes destinos. O OSPF faz uso “CUSTOS” para dar pesos aos caminhos e consequentemente definir qual o melhor para um determinado destino, baseado no algoritmo denominado “Dijkstra” (Se alguém quiser começar a se aventurar: http://pt.wikipedia.org/wiki/Algoritmo_de_Dijkstra).

 

ospf-12

 

Sobre Custos Padrões do OSPF

Open Shortest Path First (OSPF) usa o “custo” como o valor da métrica e utiliza uma largura de banda de 100 Mbps de referência para o cálculo de custos.

A fórmula para calcular o custo de Referência é: Bandwidth dividido pela largura de banda interface. Por exemplo, no caso de 10 Mbps Ethernet a métrica OSPF seria “10”. Porquê? Pois, (100 Mbps / 10 Mbps) = 10.

De novo, a largura de banda de referência padrão do OSPF é de 100 Mbps, portanto, a fórmula de custo padrão não faz distinção entre as interfaces com largura de banda mais rápida do que 100 Mbps. Actualmente, 1 Gbps, 10 Gbps e até 40 Gbps já são links comuns.

O acordo com o cálculo do valor de custo de “métrica padrão” do protocolo, o “Custo” padrão do OSPF para interface Fast Ethernet (100 Mbps) e uma interface Gigabit Ethernet (1 Gbps) e superiores, são sempre os mesmos.

Se você quiser alterar o comportamento padrão, a fórmula de custeio podem ser ajustadas usando o comando “auto-cost” no âmbito do processo de roteamento OSPF. Se você está mudando o padrão OSPF Referência Bandwidth, certifique-se de que você mudou este parâmetro em todos os roteadores de sua rede.

A tabela a seguir lista os valores de custo padrão OSPF para diferentes larguras de banda de interface.

 

Bandwidth OSPF Cost
100 Gbps 1
40 Gbps 1
10 Gbps 1
1 Gbps 1
100 Mbps 1
10 Mbps 10
1.544 Mbps 64
768 Kbps 133
384 Kbps 266
128 Kbps 781

 

Era isso pessoal, e logo, logo, vem mais informações e Simulados por ai. Asssim podemos fixar o conhecimento.

Força, Fé e Foco

 

Diego de Oliveira

CCIE# 46343

Anúncios

Escrito por diegooliveirabressan

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s